sexta-feira, 31 de julho de 2009

Canto de Fodas


Era uma vez três porquinhos formados em engenharia pela Unip, Huguinho, Zezinho e Luizinho. Embora formados nessa universidade, esses porquinhos eram muito astutos e sempre ganhavam as licitações da prefeitura e do governo. Huguinho era especialista em construir casas populares - todas erguidas em avenidas movimentadas, as quais tapavam as favelas que permaneciam às suas costas. Já Zezinho era especialista em construir escolas de latas e Luizinho, adorava construir presídios de estruturas frágeis, que caiam até com o simples soprar de um velho lobo mau com bronquite (tipo Zagallo).

O prefeito dessa cidade se chamava Pinóquio, um típico prefeito mesmo, cara de pau e mentiroso. Ele vivia a defender privatizações, afortunava um mundo de dinheiro com as licitações ganhas pelos 3 Porquinhos e era chefe de uma quadrilha que roubava guloseimas de crianças.

Dentre às crianças assaltadas, estava Chapeuzinho Vermelho - uma jovem cearense, complexada com sua imensa cabeça e com sua ausência de pescoço, que vivia a perambular pelo bosque com uma lona de circo bordô enrolada sobre os cabelos, a qual ela teimava em chamar de "chapéu".

Frequentemente, Chapeuzinho Vermelho atravessava a cidade para levar guloseimas para sua vó. Em uma dessas travessias, Chapeuzinho Vermelho foi surpreendida pelo Lobo Mau, que não titubeou, roubou os doces da garota e deu uma mordida com toda sua força. Ao morder, o Lobo deu um berro logo ao sentir que a guloseima era na realidade um pedaço de rapadura.

Lobo Mau quebrou todos os seus dentes e com isso, deixou de comer as guloseimas e também a vovozinha.

Enquanto aguardava ganhar uma dentadura prometida pelo prefeito, Lobo Mau foi passado pra trás pela vovozinha, que não o esperou e acabou convidando outro rapaz para ir ao baile da terceira idade. Esse rapaz era o Pequeno Polegar.


No começo da relação dele com a vovozinha era tudo positivo. Festas, danças e muita curtição. No entanto, depois de breve período, o Pequeno Polegar se enfiou no mundo das drogas e após comer pilhas alcalinas Rayovac, foi internado num centro para reabilitação de dependentes químicos em Neverland.

Em Neverland
, as pessoas tinham o poder de alterar a sua melanina. Assim como Michael Jackson, Branca de Neve nasceu com a pele bem escurinha e se chamava Preta Gil, depois com o passar do tempo, transformou-se numa menina anêmica, vegetariana e apreciadora de maçã.


Além de mudar de cor, Peter Pan dizia que em Neverland qualquer pessoa poderia voar, para isso, bastava pensar em coisas boas. O Aladim, por exemplo, pensava em sabadão ensolarado, cerveja gelada e bate papo com os amigos, que logo começava a voar.


Entretanto havia um lado triste nessa história. Como Caixinhos Dourados não era dotada de muita inteligência, ela não conseguia voar, pois não conseguia pensar.

A "loira burra" dos Canto de Fodas não era provida de muita sapiência, mas tinha um fogo incontrolável, depois de ser conquistada pelo Flautista de Hamelin, ela se casou e teve 7 filhos com esse rapaz, Mestre, Zangado, Atchim, Soneca, Feliz, Dengoso e Dunga.


Segundo o Espelho Espelho Meu fofoqueiro da Bruxa, o Flautista de Hamelin sofria de ejaculação precoce e por isso, seus sete filhos nasceram com baixa estatura e eram malvadamente apelidados de "espirros de pica".


Pica, era o que o irmão mais velho de Peter Pan mais gostava, ele se chamava Robin Wood. Adora dar para os pobres. Assim como Madame Satã, era uma bicha louca, mas era muito respeitado. Certa vez, por mexerem sem autorização em seu Rouxinol, Robin Wood foi flagrado na floresta (ou no meio do mato) rasgando a Roupa Nova do Rei com os dentes e ele só parou ao engasgar com o zíper.


Porém, como somente os inteligentes conseguiam ver a roupa do rei, ficou a dúvida se engasgou com o zíper ou com outra coisa.


Falando em outra coisa, por não ter orifícios na parte inferior do corpo, a Pequena Sereia era conhecia por realizar para molecada um espetacular "bola gato" (se não entendeu, traduza essas duas palavrinhas para o inglês).


O Gato de Botas comprou o Sapatinho de Cristal da Cinderela, achando ser uma banheira, presenteando sua nova e bela esposa, a Gata Borralheira. Cinderela calçava 52 e era conhecida na região como "Coturno Bico Largo".


Coturno também era sempre usado pelo João. Com frieiras e joanetes, o chulé de João era mais fedorento que um peido digerido de feijão azedo e, por isso, quando passava todos caçoavam, chamando-o de João e o Pé de Feijão.


Reprimido com seu pé, João nunca teve namorada, toda sua libido era descarregada no galinheiro da sua vó, mais especificadamente na Galinha de Ouro. Cansada de ser violentada, a Galinha de Ouro foi pedir ajuda ao seu primo, Patinho Feio, mas não adiantou, pois ele estava casando com a Sthefany Brito e não tinha tempo para socorrê-la.


Socorro precisavam João e Maria. Durante a noite, os irmãos avistaram uma casa na floresta que era repleta de chocolate e começaram a comer tudo que viam pela frente. Ao amanhecer, já obesos e repletos de espinhas, João e Maria foram surpreendidos pela polícia, que prendeu o casal em flagrante por assalto à Kopenhagen.


Presa no alto de uma torre, vivia Rapunzel. Devota ao protestantismo, ela era uma garota de princípios, não cortava os cabelos e não se depilava. Mensalmente para colher o dízimo, o pastor de sua igreja escalava a torre pendurando-se em seu vasto sovaco.

Não muito longe dali, morava a Bela Adormecida. Dizem que a Bela Adormecida beijou um príncipe, que acabou se transformando num sapo, com isso, a encantadora menina constrangida com tal situação, bebeu tanto, mas tanto, que acabou entrando num profundo coma alcoólico, permanecendo desacordada por anos e anos.

Certo dia numa casa noturna, a outra Bela, que era dançaria de funk e figurante do Zorra Total, conheceu um jogador de futebol bem sucedido e irmão mais novo do Edmundo Animal, chamado Fera.


A atrevida garota encheu a cara do rapaz, levou-o a um motel, fez um rasgo na camisinha, ficou grávida e assim, a Bela e a Fera se casaram e viveram felizes para sempre.


De endy!


Doug Fabuloso

“Passeando no bosque, enquanto o seu lobo não vem”



5 comentários:

Rogerio Lima disse...

sempre procurando um jeito de fazer histórias reais no mundo das fadas... que viagem meu irmão... confesso que tem muitos dos personagens que eu nunca ouvi falar na vida... Parabéns... texto longo, parágráfos totalmenente herméticos... pequenas ilhas que formam um arquipélago... ou qualquer coisa por aí... falw

Douglas disse...

Roger, vc achou o texto hermético?

normalmente diz que meus textos são fáceis de ler...

bacana, um texto atípico então!

Valeu pelos Comentários!

Polly disse...

Sensacional!!!! Fiz uma viagem muito louca com esse texto, rsrs. Parabéns.

Daniel - Phdaemons disse...

PQP!

Sensacional!!!!

Vc atingiu o estágio da pedra...
Enquanto estava na maconha estava normal... Agora pirou de vez.

Anônimo disse...

kkkk demaiss