sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Peão – Parte II

Estava o Lâmpada e eu conversando e vimos que além de todos os itens já citados no texto anterior, o verdadeiro peão também:


Cospe pela janela do ônibus;


Passa por baixo da catraca e diz que esqueceu a carteira;


Chama manteiga de margarina;


Come salgadinho Ebicen com suco Tampico;


Molha o pão no leite;


Qualquer barulho de estouro grita que é o Bin Laden;


Quando ouve barulho de algo desabando no chão, diz que caiu um lenço;


Sempre faz a piadinha que quem senta na ponta da mesa, paga a conta;


Quando tem pavê na sobremesa, pergunta se é pra ver ou pra comer;


Fica em pé na frente da porta do ônibus, metro ou trem;


Vai trabalhar de bicicleta com roupa de ciclista e não toma banho quando chega na “firma”;


Compra tênis na Dic para ganhar uma bola;


Ouve som alto em ambiente público;


Tem mais de 500 amigos no Orkut e não conhece nem um terço deles;


Quando está sentado na pracinha, descansando no término do horário de almoço, oferece pé-de-moleque pras “minas” que passam;


Acredita que as pegadinhas da TV não são combinadas, assim como crê no programa da Márcia Goldschmidt;


Tem computador do Milhão;


Toma uma pinguinha pra abrir o apetite;


Mistura banana no prato de arroz e feijão (sem contar o pãozinho, a farinha e a pimenta);


Come feijão com macarrão e pão com ovo;


Vê credibilidade na Veja;


Quando era moleque fazia desenho no cabelo com símbolo da Bad Boy;


Compra raspadinha;


Não usa guardanapo;


Almoça antes das 11h da manhã;


Anda com elástico no pulso;


Remenda a Havaianna com clipes;


Fica batucando ou assobiando o tempo todo;


Põe nome estrangeiro nos filhos, de preferência que contenha w, h e y, tipo Wellington e Washington;


Pega um pedaço do nome da mãe, mistura com um pedaço do nome do pai, põe no liquidificador e sai o nome do filho;


Chama os outros de “cumpadi”, “chefia”, “doto” e “sangui bom”;


Tem medo de elevador e escada rolante;


Tem tatuagem verde;


Não consegue falar registro e holerite;


Chama Asterisco de Asterístico;


Chega cedo ao showmício pra pegar um lugar perto do palco;


Coloca adesivo no carro escrito “bebê a bordo”;


Possui calça que vira bermuda;


Anda com lenço no bolso;


Pára em qualquer roda formada no centro, repentista, vendedor de pomada ou boliviano tocando flauta;


Anda com fita do Senhor do Bonfim;


Leva a família pra passar o sábado na beira da represa;


Dá aveia com banana para os filhos;


Faz churrasco de acém e gela as Kaisers no tanque;


Tem tapetinho no tampão traseiro do carro e, em cima dele, põe aquele cachorrinho que mexe a cabeça;


Tem uma flâmula de seu time na sala;


Não toma manga com leite;


Possui buzina de ar na bicicleta;


Tem um monte de objeto na estante com a frase “estive na Praia Grande e lembrei-me de você”;


Doug Peon Zito

“Eleito por maioria de votos”


Um comentário:

Polly disse...

Muito bom, parabéns pelo texto, aliás engraçadérrimo e me lembra muitas coisas.