quarta-feira, 12 de março de 2008

Momento de Alienação


Na verdade não houve um MOMENTO de alienação, pois faz parte da minha vida inteira (provavelmente da sua também). Mas para descontrair, resolvi relembrar um pouco de tudo que aprendi ouvindo muita música nas rádios, no Viva a Noite, no Faustão e na Xuxa.

Leia as belezinhas abaixo e veja se não são poéticas...


A perereca da vizinha ta presa na gaiola


Quero vê-la sorrir, quero vê-la cantar, quero ver o seu corpo


Não se reprima


Ilarê, ilarê, ilarê, ê, ê, ê, ê


Cara, caramba, cara, caraô


Chorando se foi quem um dia só me fez chorar


Adocica meu amor, a minha vida


Capoeira, ra, ra, ra, não esquece de cantar, ra, ra, ra, ra


Da pra mim o seu carinho, da pra mim, eu prometo que serei um bom rapaz


Volare, cantare, oh, oh, oh, oh


Requebra, requebra, requebra sim, pode falar pode, pode, pode rir de mim


Como é doce o beijo quando vem da sua boca


Menina, que tantas vezes vi chorar, achando graça quando ela dizia: Quando crescer, vou casar com você


Baila, baila comigo, baila, baila amor, baila e mexe o umbigo


Eu vou dar uma paulada na barata dela


Florentina, florentina, florentina de jesus


Tudo que é perfeito a gente pega pelo braço, joga lá no meio, mete em cima e mete embaixo.


Depois de nove meses, você vê o resultado


Vai descendo na boquinha da garrafa


Au,au, au,au,au, quero mais au, au. Empina a bundinha! Quem ta parado quer dançar, quem ta dançando, não quer mais parar!


Tira! Tira! Tudo que é perfeito é pra se mostrar


Carrinho de mão, pá, pá, padapadaba


Vai varrendo, vai varrendo, vai varrendo!


Então é Natal e o Ano Novo também


Nessa bomba eu não ando mais, soltaram um bagulho no banco de trás


Um, dos, três, baila em Su Merengue Maria


Festa da música Tupiniquim, que ta rolando na rua Antônio Carlos Jobim


Inara, inara, inara, inarai


Bebeu água? Ta com sede?


Coisa de maluco, ficar enrolando um língua na outra. Coisa de maluco, é pão-de-ló


Quero te encontrar, quero te amar, você pra mim é tudo, minha terra, meu céu, meu mar


Porque você não vem brincar comigo baby


Oh, baby! Dance, dance, dance


Mexe, mexe, mexe com as mãos


Que andar que carro velho amor, então venha, porque sei que andar a pé, é lenha


Maionese, ele me bate, bate, feito maionese


Se ela é o morango aqui do Nordeste


Esse turo tatuado no meu peito, que faz turo, turo, quando você passa


Bom chi bom chi, bom, bom, bom


Me dá, me dá, me dá, o seu coração


Lavou nova, mulher madura é o bicho, lavou, enxugou, ta nova!


Vou passar cerol na mão, vou aparar pela rabiola, então martela, martela, martela o martelão


Ha, ha, ha, ha, mas eu to rindo à toa


Andou na prancha, cuidado tubarão vai te pegar, tumdum, tumdum, tumdum


Beijo na boca é coisa do passado, a moda agora é namorar pelado


Se tem uma coisa que eu não acredito, é brigar comigo, sem eu ter feito nada


Sorria que eu estou te filmando, sorria o coração ta gravando


Quero tanto dizer, que só penso em você, mas a minha timidez não deixa


Não senti saudade de você


Meu amor, esse amor, tem 40 graus de febre, queima pra valer


Assenerrá,nerri,nerrá, nessenerrinessol, nessebiulombá,debugui,bugui,buguidebi (Rouge)


Sim, sim, sim, esse amor é tão profundo, você é minha prometida, eu vou gritar pra todo mundo


É a musa do verão, calor do coração, 60 graus de febre, de ternura e paixão


O jumento e o cavalinho, eles nunca andam , quando sai pra passear, levam a égua Pocotó


Daku é bom, Daku é bom


Crééééééééu


Caramba, o pessoal vem falar de aquecimento global, falta de água, fim do petróleo, mesmo com todas essas catástrofes citadas acima, vai se lascar!


Daqui a pouco estaremos dançando com som oriundo de uma máquina de lavar, uma furadeira ou de uma enceradeira.


Olha que tive o cuidado de não repetir músicas de um único “artista”, pois não acabaria nunca mais de escrever. Além disso, não quis ferir o sentimento de ninguém, portanto poupei os Zezé di Camargo da vida, Ása de Águia, pagode de Negão com cabelos amarelos e muito funk industrial.


Obrigado pela sua atenção, agora pode retornar pra frente da TV!


Doug no acústico do outro é refresco

2 comentários:

Anônimo disse...

Faltou: Dói, um tapinha não dói...
Jr!

Daniel disse...

Sucesso!!!