quarta-feira, 2 de abril de 2008

O Rio de Janeiro continua lindo?

A notícia de 1 de abril de 2008 é que 44 pessoas já morreram por causa da dengue na cidade do Rio de Janeiro. Embora a data permita, essa notícia não é mentirosa.

Não ficarei criticando as autoridades porque a incompetência política não é novidade pra ninguém e, além disso, para falar sério eu teria que ter mais informações, entretanto sou alienado, assim como você.

Já que o negócio é brincar, então brincaremos, brincaremos sem parar...

Primeiramente gostaria de dizer que tudo abaixo não passa de uma traquinagem, portanto, se você é ou tem parente carioca, deixo aqui os meus pêsames.

Infelizmente as belezas naturais do Rio estão sendo danificadas. Hoje em dia, o tráfico dominou a cidade, a Linha Vermelha com bolinhas Lilás está parecendo a faixa de Gaza, nas orlas das praias os arrastões se tornaram rotinas, o bondinho só serve pra proliferar mais mosquitos e Cristo Redentor está cansado de tomar picadas.

Cada vez mais os clubes cariocas estão piores e mais endividados. Hoje um torcedor carioca compra um bisxscoito no Êxsxstra e ganha um ingresso pra ver o Mengão ou assistir as maravilhosas caneladas de Leandro Amaral – isso é o que eu chamo de um ingresso caro, eu prefiro comprar um Kinder Ovo, que a surpresa é mais agradável.

Voltando às picadas, dizem que o tal Aedes Aegypti carioca é diferente dos demais transmissores da dengue, apelidado de Bezerra da Silva, ele é mais bronzeado, se acha o malandrão, chama encanador de bombeiro e não trabalha de jeito nenhum.

Como malandro é malandro e mané é mané, ele gosta de muita sombra e água fresca e, é aí que mora o perigo.

As caixas d’águas das empresas estão proliferando mosquitos até não poderem mais, pois como os cariocas não são muito chegados em trabalho, eles não vão às empresas, conseqüentemente, não consomem as águas desses respectivos locais, deixando assim, a água parada por muito e muito tempo.

Portanto, a solução para o fim dessa epidemia é trabalhar (quem vê pensa que sou chegado nesse troço).

Fiquei sabendo que o exército vai para as ruas combater a dengue. Quando vi a notícia, no começo eu dei risada, mas depois, eu continuei rindo... Logo imaginei um soldado subindo o morro com um fuzil numa mão e com um inseticida noutra.

Só faltava o exército passar por um treinamento com o Capitão Nascimento, daí o soldado pegaria uma garrafa Pet na mão, olharia o Aedes lá dentro e diria: Pede pra sair! Pede pra sair!

Quando era pequeno, eu arrumava confusão jogando bola e todos me diziam: “Você não bate nem num mosquito!” e realmente não batia. Agora imaginem se nosso exército não bater nem num mosquito, como ficará nossa reputação? O Brasil correrá o risco de sofrer uma invasão de países como Botsuana, Guiné-Bissau, Mauritânia ou Suazilândia.

Como um país que sofre com um bichinho que se multiplica dentro de uma latinha, com caos aéreo, com falta de ferrovias, excessos de rodovias danificadas e que têm pedaços de arquibancadas que caem matando pessoas, pretende sediar a Copa do Mundo de 2014?

Nem Freud explica...

Mas enfim, voltando ao Rio, a cidade deixou de ser a capital do país já faz algum tempo, bem como deixou de sediar a Fórmula 1, como também deixou de ser expressiva no futebol, deixou de ser atrativa aos turistas, mas ainda é uma boa cidade. Boa para o narcotráfico, para os jogadores “chinelinhos” e para a proliferação da dengue.

Eu sei que nesse momento têm muita gente achando que estou desprezando a cidade maravilhosa ou seus moradores, mas não é verdade, pois de fato, têm duas coisas no Mundo que eu odeio, a primeira é o preconceito, e, a segunda é o carioca.

Abraços por trás!

Sucesso

Doug Fluminengo da Gama

“Campeão desde mil novecentos e dez”

3 comentários:

Pamella disse...

Muito bom o seu texto em amiguinho... como sempre... Parabéns....

Eu até gosto dos cariocas...rsrrsrs

Vitor disse...

Eae Alemao muito fera esse texto.....
Parabéns....

Daniel disse...

Carioca é muito dengoso!
Sei lá, se é que me entende!!!